Blog

Na luta contra o câncer de mama, a melhor arma é a informação.

Faça sua busca no nosso blog.
20/5/2020
4 tratamentos do câncer de mama

Antes de falar a respeito de quatro tratamentos do câncer de mama de forma aprofundada, é importante saber que é consideravelmente extensa a variedade de tumores cancerígenos. Existem quatro subcategorias da doença e, por isso, as providências devem ser tomadas conforme cada caso diagnosticado, para que os tratamentos tenham êxito. É importante lembrar, de antemão, que as respostas aos tratamentos variam de uma mulher para outra, devido aos traços únicos de metabolismo de cada organismo.

Diagnóstico para triagem

O prognóstico é de suma importância para saber qual o tipo de tumor da paciente, pois as intervenções médicas se distinguem conforme a especificidade do nódulo, a seu grau de invasão a outros tecidos celulares, ao tempo que está no corpo da paciente, entre outros fatores detectados caso acaso.    

Existem quatro subcategorias do câncer de mama:

·        luminais A e B;

·        HER-2;

·        triplo-negativo.

Ainda que haja tratamentos específicos para cada tipo da doença, quando se trata de triplo-negativo, o que se tem até o momento são pesquisas para que se encontrem métodos exclusivos, a fim de promover a sua regressão. Contudo, por enquanto, a dificuldade em tratá-lo o torna o mais agressivo de todos.

Os quatro tratamentosdo câncer de mama

A seguir, veja os em detalhes cada solução que a medicina traz para pacientes que sofrem de câncer de mama:  

1. Cirurgia

Depois de diagnosticado o nódulo como maligno e especificado o carcinoma, correntemente uma cirurgia é estabelecida como o primeiro dos tratamentos do câncer de mama.

Por meio de uma ablação – retirada – limitada, busca-se, ao máximo, a preservação do seio. Também são retirados linfonodos que estejam localizados abaixo do braço.

Em caso de linfonodos invadidos por células cancerígenas, deve ser integrado um recurso terapêutico complementar. Para cada tipo de tumor, uma diferente técnica cirúrgica será aplicada.

Já para os casos em que há risco de metástase, ou quando já há a sua ocorrência, é indicada uma mastectomia radical – retirada completa da mama – de modo a proteger a saúde da paciente.

2. Radioterapia

A radioterapia é um tratamento local em que a radiação é aplicada na área afetada pelas células cancerígenas. Trata-se de procedimento tomado após a cirurgia para preservação da mama a fim de evitar novas células cancerígenas.

E, no caso de uma cirurgia ter mostrado vários gânglios invadidos, é aplicado o tratamento, de modo a irradiar às áreas ganglionares, afim de regredir a sua proliferação.

A paciente também será submetida à radioterapia em caso de cirurgia que não foi suficiente para a remoção de todos os nódulos ou, ainda,quando há impedimento de uma cirurgia.

3. Quimioterapia

Um dos tratamentos do câncer de mama mais conhecidos, a quimioterapia, não é um tratamento local, mas sim uma posologia de um ou mais medicamentos, os quais passam por todo o corpo, podendo ser indicada pelo médico responsável a ser feita antes ou após a cirurgia, conforme caso e estágio da doença.

Sua administração é intravenosa e visa à destruição das células cancerígenas que ainda permanecem no corpo, assim como regredir as metástases que não são possíveis de ser retiradas com cirurgia.

Na maioria dos casos, o tratamento é pós-cirúrgico. Se o tumor não pode ser retirado por completo, a quimioterapia também é indicada para a redução de seu tamanho.

4. Terapia hormonal

É um dos tratamentos do câncer de mama mais utilizados, pois é administrado em casos comuns da doença, como o carcinoma luminar A e B. Trata-se de medicação em comprimidos ou por injeção, a fim de inibir ações hormonais que ajudam na divisão e proliferação de células cancerígenas.

A inibição é eficiente quando constatada por exames, ou seja, quando hormônios como o estrogênio, por exemplo, deixam de se fixar na superfície da célula cancerígena. Se não forem impedidos, esses hormônios favorecem a multiplicação do câncer, pois uma célula anômala sensível a estrogênio se multiplica, formando outras células do tumor maligno.

Quer saber mais sobre os tratamentos do câncer de mama? Deixe sua dúvida nos comentários, logo responderemos.

Fontes:

https://www.femama.org.br/2018/br/noticia/cancer-de-mama-triplo-negativo

https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-mama/profissional-de-saude

http://www.oncoguia.org.br/conteudo/voce-ja-ouviu-falar-em-cancer-de-mama-triplo-negativo/12598/7/

http://www.oncoguia.org.br/conteudo/cancer-de-mama-receptores-de-hormonios/10879/264/

https://www.espacodevida.org.br/seu-espaco/clinico/conheca-os-quatro-subtipos-de-cancer-de-mama-e-as-estrategias-de-tratamento-para-cada-um-deles

Assine nossa news e receba nossas novidades
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.